quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo - Cântico da Esperança


Para todos Leitores do Blogue ofereço esta Tela de Palavras pintada por Rabindranath Tagore, o primeiro escritor não europeu a receber o Prémio Nobel da Literatura.

Cântico da Esperança

Não peça eu nunca
para me ver livre de perigos,
mas coragem para afrontá-los.

Não queira eu
que se apaguem as minhas dores,
mas que saiba dominá-las no meu coração.

Não procure eu amigos
no campo da batalha da vida,
mas ter forças dentro de mim.

Não deseje eu ansiosamente ser salvo,
mas ter esperança para conquistar pacientemente a minha liberdade.

Não seja eu tão cobarde, Senhor,
que deseje a tua misericórdia no meu triunfo,
mas apertar a tua mão no meu fracasso!

Rabindranath Tagore



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

....

Maria e Jesus Menino

Vamos entoar Graças a Deus.



LITANIA DO NATAL

A noite fora longa, escura, fria.
Ai noites de Natal que dáveis luz,
Que sombra dessa luz nos alumia?
Vim a mim dum mau sono, e disse: «Meu Jesus…»
Sem bem saber, sequer, porque o dizia.

E o Anjo do Senhor: «Ave, Maria!»

Na cama em que jazia,
De joelhos me pus
E as mãos erguia.
Comigo repetia: «Meu Jesus…»
Que então me recordei do santo dia.

E o Anjo do Senhor: «Ave, Maria!»

Ai dias de Natal a transbordar de luz,
Onde a vossa alegria?
Todo o dia eu gemia: «Meu Jesus…»
E a tarde descaiu, lenta e sombria.

E o Anjo do Senhor: «Ave, Maria!»

De novo a noite, longa, escura, fria,
Sobre a terra caiu, como um capuz
Que a engolia.
Deitando-me de novo, eu disse: «Meu Jesus…»

E assim, mais uma vez, Jesus nascia.

José Régio

domingo, 19 de dezembro de 2010

Porto d'Ave despede-se de 2010 com uma derrota


Não foi da melhor forma que o Porto d’Ave se despediu de 2010 e depois do resultado moralizador da última jornada a nossa equipa deslocou-se a Prado com confiança para alcançar a quinta vitória do campeonato, mas apesar da excelente atitude dos nossos jogadores regressamos a casa sem qualquer ponto na bagagem. Pela frente estava um candidato à subida que vinha duma derrota no terreno do líder da classificação e encarou os três pontos em disputa neste desafio como imprescindíveis para manter vivo o sonho da promoção.

Além do excelente futebol praticado por ambas as equipas todo este espectáculo ficou ainda mais enriquecido por ser desenrolado sobre um verdíssimo piso sintético que nos deixou com água na boca enquanto imaginávamos o nosso pelado, ora poeirento ora enlameado. Talvez um presente no sapatinho do Porto d’Ave neste Natal torne possível que o nosso adversário de hoje encontre condições idênticas no nosso recinto quando nos visitar para disputar o jogo da segunda volta do campeonato.

Mas o espectáculo que se desenrolou hoje no Complexo Desportivo do Faial não se resumiu a um jogo de futebol, e também um pequeno número de adeptos afectos à equipa da casa quiseram chamar para si todas as atenções ao tentarem expulsar da bancada coberta os adeptos do Porto d’Ave. Uma clara demonstração de ignorância e total ausência de fair-play ao que a instituição G. D. Prado reprovou prontamente visto tratar-se de casos isolados de pessoas sem responsabilidade no clube e já rotuladas por este tipo de comportamentos. A intervenção dos agentes da GNR que se encontravam no local foi imediata evitando males maiores. No entanto não deixa de ser estranho que encostado à terceira maior cidade de Portugal e que recentemente se candidatou a Capital Europeia da Cultura existam comportamentos terceiro-mundistas como este a que assistimos em que os adversários são recebidos por algumas pessoas como se de inimigos se tratassem. Não me vou alongar na descrição deste acontecimento, mas fica a garantia que não será pela falta da mesma tecnologia utilizada em Belém há mais de dois milénios que as cabanas dos presépios na casa dos protagonistas deste triste episódio ficarão sem aquecimento neste natal.

Quanto à partida dentro das quatro linhas, a crónica deste jogo seria bem diferente se perto do fim da primeira parte não tivesse sido inventado um penalty contra o Porto d’Ave. A equipa de casa abria o placar na sequência duma falta assinalada dentro da área que só o árbitro da partida viu. Passados dois minutos e com os nossos jogadores ainda não recompostos do desaire, o mesmo goleador Barroso aproveita uma defesa incompleta de Abreu e faz o segundo. O Porto d'Ave foi sempre a melhor equipa em campo mas na sequência dum erro grave era o Prado quem levava a vantagem de dois golos para intervalo.

Na segunda parte os nossos jogadores subiram para o sintético determinados a inverter o resultado mas a bola teimava em não entrar na baliza adversária. A equipa da casa apenas conseguia responder em lances de contra-ataque e acaba por beneficiar de mais um penalty pintado com o mesmo tom do primeiro ao vigésimo minuto. Na sequência de mais esta deturpação das regras de futebol, Abreu defende e nega o terceiro a Barroso que acabou mesmo por fazer o hact-trick ao beneficiar de mais um castigo máximo a dez minutos do apito final, desta vez numa falta que existiu mesmo.

O Porto d’Ave perde por três bolas a zero numa partida em que nunca foi inferior ao adversário. Os nossos jogadores realizaram uma exibição positiva e mereciam outro desfecho mas a falta de eficácia e a actuação do trio de arbitragem influenciaram o resultado final que não espelha o que se passou dentro das quatro linhas.

O resultado no desafio de hoje não foi positivo, mas as exibições da nossa equipa nas últimas jornadas permitem-nos encarar o próximo ano com confiança. Apesar do nome do Porto d'Ave não constar na primeira metade da tabela classificativa, a nossa equipa já demonstrou que pode dar continuidade aos lugares obtidos nas épocas anteriores ou mesmo supera-los e a presença na final da Taça da Associação de Futebol de Braga é outro objectivo que está ao nosso alcance. Ambas as competições só irão regressar no próximo ano e até lá temos a magia da Quadra Natalícia para viver. E é com essa mensagem que termino esta crónica.

Um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de alegria e concretização de sonhos são os votos que a Administração do Blogue dirige a todos os leitores.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Vamos Apoiar o Porto d'Ave

Seniores
G. D. Prado ___G. D. Porto d'Ave
Domingo, 19 de Dezembro pelas 15.00 horas
No Complexo Desportivo do FaialInterior da 8ª Capela "Calvário": JESUS entre os doutores da lei

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

João Fernando é Treinador do C.C.D. Santa Eulália

João Fernando é agora nosso adversário. Não estava no activo desde a sua saída do Porto d’Ave mas o seu nome foi recentemente anunciado pelo C.C.D. Santa Eulália para tomar o leme da equipa sénior deste histórico da Divisão de Honra substituindo Tozé Fonseca que não resistiu à onda de maus resultados. Conta com a colaboração de Moreira, outro elemento que fez parte da equipa técnica do Porto d’Ave.

Recordo que João Fernando esteve nas últimas três épocas no comando da nossa equipa sénior onde alcançou a subida na época 2007/2008 e de seguida consolidou o nome do Porto d’Ave na mais alta divisão do futebol distrital alcançando os quinto e sétimo lugares respectivamente que são as melhores classificações de sempre do nosso clube. Já na sua primeira passagem pelo Porto d’Ave tinha feito história ao terminar o campeonato sem conhecer o sabor da derrota levando também nessa época o nosso clube à de Divisão de Honra quando ainda era disputada em duas series.

Para estes Amigos a Administração do Blogue endereça uma mensagem de felicidades e deseja que alcancem os maiores êxitos desde que esses não colidam com os interesses do Porto d’Ave.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Lugar de Porto d'Ave goleia concelho de Celorico


Foi quase há um mês que assistimos à última partida de futebol da equipa principal do Grupo Desportivo de Porto d’Ave no nosso Parque de Jogos mas nem esse factor contribuiu para que as bancadas se vestissem de adeptos para assistir ao encontro de hoje. Pela frente estava o Celoricense, um velho rival que tantas vezes ombreou connosco e houve mesmo uma época em que ambos subimos ao mais alto escalão de do futebol distrital, nessa altura disputado ainda em duas séries. Adivinhava-se uma grande partida com duas equipas equilibradas onde o frio e a chuva também contribuíram para o espectáculo ao decidirem não marcar presença.

O Porto d’Ave a jogar em casa e com a possibilidade de igualar o adversário de hoje e fugir aos lugares do fundo da tabela classificativa demonstrou desde cedo que só os três pontos interessavam e entrou em campo decidido a alcançar a quarta vitória no campeonato. O Celoricense que ainda não conseguiu vencer fora de portas entrou mais retraído e demonstrava poucos argumentos para manter a bola longe sua área.Estava ainda presente o eco do apito inicial quando surgiu a primeira jogada de perigo na baliza adversária. Freitas isolado permite a defesa do guardião e na recarga Gonça remata em jeito com o golo a ser evitado desta vez por um defesa que tira de cabeça em cima da linha. A bola ainda sobrou para Zé Beto que remata ao lado a um palmo do poste. As oportunidades continuaram a surgir mas a desafinação da pontaria dos nossos jogadores ia dando esperanças à equipa de Celorico que acabou por abrir o placar numa jogada que parecia inofensiva, mas um desvio involuntário de Neves a trair o guardião Abreu ditou o primeiro golo da partida.

Os nossos jogadores não baixaram os braços e o perigo não abandonava a baliza adversária, mas os festejos do golo da igualdade só chegaram ao minuto trinta e cinco. Do pé esquerdo de Pimenta sai um potente remate na execução dum livre obrigando a uma defesa apertada e a bola sai pela linha de cabeceira. O nosso número nove aponta o canto e Neves de cabeça na pequena área envia a bola para o fundo das redes.

A reviravolta não se fez esperar, e passados três minutos Peixoto na sua estreia com a camisola do Porto d’Ave faz o dois a um.

O Pai Natal chegou mais cedo ao nosso balneário e fomos surpreendidos pela presença deste reforço no onze inicial. O médio Peixoto tinha decidido abandonar o futebol depois de na época passada ter alinhado pelo Terras de Bouro, mas as saudades de calçar as chuteiras falaram mais alto e respondeu positivamente ao convite que lhe foi endereçado pela direcção vestindo hoje pela primeira vez a camisola do Porto d’Ave. A sua estreia não podia ser mais positiva ao apontar este golo que colocou o Porto d'Ave em vantagem e foi determinante para a conquista da goleada. A administração do blogue endereça as boas vindas ao jogador e deseja que seja feliz no nosso clube, certos estamos que grande parte dessa felicidade advém das vitórias que ansiamos ver alcançadas.

No regresso dos balneários os nossos jogadores continuaram a remar para ampliar a vantagem e o terceiro para o Porto d’Ave surgiu ao sexto minuto da segunda parte com Zé Beto mais uma vez a fazer uma grande jogada e enviar a bola para o fundo das redes.

Com meia hora jogada na segunda parte foi a vez de Pimenta fazer jus ao número que ostenta na camisola e apontar o nono golo na época. Este jogador com pouca visibilidade dentro do campo e estranhamente a ser alvo de algumas depreciações, obrigou já por nove vezes os guardiões adversários a ir buscar a bola ao fundo das redes quando ainda falta disputar uma jornada para a paragem do campeonato. Caso faça o gosto ao pé em Prado chegará ao Natal com uma dezena de golos, uma marca pouco habitual no nosso clube e é ainda mais considerável se tivermos em conta a onda de maus resultados que não nos largava desde a quinta jornada. A época não tem sido feliz para o Porto d'Ave, e se não fosse a pontaria deste jogador seria ainda mais negativa. Para alguns, para ser merecedor dos maiores elogios teria que usar tranças amarelas ou calçar chuteiras fotoluminescentes. Para nós, equipa que colabora e administra o blogue, basta que continue a enviar a bola para o fundo das redes adversárias e dar pontos ao Porto d’Ave para merecer destaque pela positiva, por isso enviamos os parabéns e também a nossa gratidão ao jogador em questão pelo excelente serviço que está a prestar ao Porto d’Ave durante este Outono que está para terminar. Se repetir a proeza no Inverno que está à porta e também na Primavera, isto é, continuar com a mesma média de 10 golos por estação, o seu nome perdurará na memória de todos Portodavenses por ser o primeiro atleta da equipa sénior a chegar às três dezenas de golos numa só época. Eu acredito.

Mas o placar ainda não tinha fechado e Bife acabado de entrar volta a beneficiar duma excelente assistência de Zé Beto e faz o quinto para o Porto d’Ave. Durante os noventa minutos da partida foram incontáveis as situações desperdiçadas pelos nossos jogadores, e não vou citá-las todas aqui porque me comprometi a terminar esta crónica antes do Natal. Fica o registo duma importante vitória e a melhor exibição da época.

No próximo Domingo o Porto d’Ave vai disputar a última partida oficial de 2010. O adversário é o Prado que ocupa o quinto lugar da tabela e desde a primeira hora assumiu que a subida ás competições nacionais está nos seus horizontes. A tarefa de pontuar neste recinto não será fácil, até porque aliada à qualidade da equipa que vamos defrontar está uma massa associativa ímpar no apoio aos seus jogadores e esse é mais um obstáculo que vamos ter pela frente. Mas os adeptos do Porto d’Ave também tem uma palavra a dizer, até porque em caso de derrota a Fava dos lugares perto da linha de água durante as Festas Natalícias corre o risco de ser uma realidade que não queremos viver. Por isso todos juntos não seremos demais na deslocação a Prado para dar continuidade ao bom momento que atravessamos, pois a nossa equipa ainda hoje apresentou argumentos para escalar para os lugares cimeiros da tabela. Força Porto d'Ave.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Vamos Apoiar o Porto d'Ave

Seniores
G. D. Porto d'Ave ___ C. D. Celoricence
Domingo, 12 de Dezembro pelas 15.00 horas
No Parque de Jogos do Porto d'Ave

Interior da 7ª Capela "Calvário". Fuga para o Egipto

sábado, 4 de dezembro de 2010

Jogador dos Juvenis revoltado com arbitragens


"Vamos mostrar quem realmente somos contra os arbitros e contra todos ...força equipa!!!!
"

É com estas palavras que termina um comentário em tom de revolta enviado por Tiko, jogador do Porto d'Ave actualmente a representar os Juvenis, referindo-se a situações estranhas com que nos deparamos constantemente no futebol, onde nem os Escalões de Formação são poupados ao desrespeito pelo esforço e mérito dos atletas e dessa forma tantas vezes constatamos resultados obtidos em obscuros gabinetes, situações que as quatro linhas do rectângulo do jogo não são suficientes para esconder. Por ser um testemunho na primeira pessoa dum Jogador que sente na pele as injustiças deste fenómeno vergonhoso, passo a citar na integra e em primeira página a mensagem que nos foi enviada:

"Peeço a todos para lerem isto com muita atenção !!!(sobre juvnis)

a AFBraga neste momento está uma palhaçada...eu sou jogador do porto d´ave e quero dizer desde ja que assim jogar futebol não vale a pena...Santa maria Vs porto d´ave (no jogo para a taça) o porto d´ave perdeu 3 - 2, como é normal o porto d´ave completamente roubado... recebemos neste jogo o palmeiras em casa e a história repete se...nao vale a pena estar a lutar dentro de campo para acontecer sempre a mesma coisa...AFBraga acordai os vossos arbitros sao uma palhaçada!!!!
Mas vamos lá porto d´ave contra tudo e contra todos !!!!tá visto como isto é sempre a mesma roubalheira ....
Nós somos fortes PORTO D´AVE!!!...
agora falando sobre o jogo, na primeira parte jogo muito equilibrado, em que o palmeiras estava mais concentrado e conseguiu ir a ganhar para o intervalo...o porto d´ave nao desistiu e logo nos primeiros minutos da segunda parte deu a volta ao resultado para o 3-2 , o palmeiras empata e um minuto depois o Porto D´ave faz o 4-3...isto continuou até ao fim, só que como é normal nos minutos finais os arbitros inventarem e o palmeiras conseguiram chegar ao empate... Força equipa merecia mos ganhar...Vamos mostrar quem realmente somos contra os arbitros e contra todos ...força equipa!!!!"

Sá Carneiro não morreu, mataram-No


Faz hoje trinta anos que à hora do jantar a televisão portuguesa interrompia a emissão para nos dar notícia duma tragédia. Na noite de Quatro de Dezembro de Mil Novecentos e Oitenta quando faltavam três dias para as eleições presidenciais, o Primeiro Ministro Francisco Sá Carneiro e o Ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa agendaram uma ida à cidade do Porto para participar no comício de encerramento da campanha eleitoral do General Soares Carneiro, mas um ataque terrorista ao estilo de Hollywood faz explodir um avião que transportava além dos dois governantes mais cinco pessoas, perdendo todos a vida neste atentado que ainda tentaram fazer passar por um acidente, mas não foi possível apagar todas as provas de mão criminosa. Desta forma foi silenciado algo de comprometedor que podia colocar em causa muito mais que o resultado nas urnas. Passados trinta anos, apesar da confissão de José Esteves, aquele a quem foi encomendado o fabrico do engenho explosivo que vitimou toda a tripulação, as investigações para encontrar os autores morais deste acto terrorista depararam-se com todo tipo de impedimentos para avançar e o caso nunca foi a julgamento. Estávamos já na Terceira República.