quinta-feira, 29 de abril de 2010

Vamos Apoiar o Porto d'Ave



Futsal Feminino
(Torneio de Vila das Aves)
Sábado, 01 de Maio pelas 20,000 horas
G. D. Porto d'Ave - 3 *** 2- A.C.D. Mindelo


Juniores
S. C. M. da Fonte - 0 *** 1 - G. D. Porto d'Ave
Sábado, dia 01 de Maio pelas 16,00 horas

Juvenis
(Terminou a Época)

Iniciados
G. D. Porto d'Ave - 6 *** 2 - C.D. Lago

Domingo, dia 02 de Maio pelas 10,00 horas

Infantis
G. D. Porto d'Ave *** C.C. Taipas
Domingo, dia 02 de Maio pelas 11,30 horas

Escolas
G. D. Porto d'Ave - 1 *** 1 - S. C. de Braga
Domingo, dia 02 de Maio pelas 09,00 horas


quarta-feira, 28 de abril de 2010

segunda-feira, 26 de abril de 2010

UMA EQUIPA FANTÁSTICA

Em cima: Rita, Bi, Inês, Jú e Melanie
Em baixo:
D. Estela (directora) Lúcia, Sandra, Topi, Ângela, Nádia, Paula (capitã) e Professora Ana (treinadora)

Terminou o campeonato da época 2009/2010 de Futsal Feminino. Pela primeira vez na já longa história do Grupo Desportivo de Porto d’Ave o nosso emblema competiu nesta modalidade e os resultados foram extremamente positivos.

Em termos competitivos conseguimos um honroso quarto lugar no Campeonato e fomos eliminados nos quartos de final da Taça. Em ambas as provas, e apesar dos resultados obtidos serem motivo de orgulho para todos nós, ficou a sensação de que merecíamos mais, mas em relação a esse factor fomos falando aqui ao longo da temporada. Durante toda a época a festa do golo só não foi possível em dois jogos, ambos contra o vencedor de ambas as provas, o Vermoim. Já na nossa baliza orgulhamo-nos de terminar dezanove das trinta partidas do campeonato sem sofrer qualquer golo e apenas a linha da baliza do líder foi menos vezes ultrapassada que a nossa.

Também não posso deixar de referir que os nomes que ocupam linhas na tabela classificativa acima da nossa tem orçamentos avultados e em comparação, nesta equipa tanto a treinadora como as jogadoras estão a custo zero assumindo ainda as despesas com as deslocações e material desportivo.

Durante a época que terminou as dificuldades ao nível de treinos também se fizeram sentir. A nossa equipa apenas podia ocupar o único pavilhão do nosso concelho com as condições mínimas para a prática de Futsal durante uma hora por semana. Apesar do tempo ser reduzido para se fazer o trabalho necessário, as nossas jogadoras viram-se ainda privadas de fazer o aquecimento antes da hora do treino, por causa duma medida mesquinha da parte de pessoas que só porque atravessam uma fase em sentem que não precisam de ninguém procedem desta forma anti-desportiva demonstrando uma enorme falta de companheirismo com esta atitude completamente inadequada ao impedir o uso dum espaço que apesar de lhes estar atribuído naqueles minutos não estava a ser utilizado. A respeito disso, as acções ficam com quem as pratica e as nossas jogadoras continuaram a trabalhar com união e alegria e foram superando todos estes obstáculos.

Neste ponto não podemos esquecer a colaboração de um grupo de jovens que ocupava o pavilhão no final do nosso treino, que tendo conhecimento do que se passava disponibilizaram-se a começar o seu jogo mais tarde e desta forma a nossa equipa ia encontrando soluções para os problemas. Apesar de serem maioritariamente da Vila, estes jovens não se identificam com o procedimento do clube a que um dia também pertenceram e prestaram-se a colaborar com a equipa do Porto d’Ave. Para este grupo de amigos fica aqui o nosso reconhecimento pela forma como trataram esta causa.

Mas não foi apenas na vertente competitiva que os resultados foram enriquecedores para o Grupo Desportivo Porto d’Ave. Com a integração deste escalão, a grande instituição que nos une tem outros motivos para se orgulhar. Acompanhei a caminhada desta equipa ao longo da temporada e posso afirmar, o Porto d’Ave já era grande mas é sem dúvida muito maior agora. E permitam-me dizer, está também muito mais bonito.

Seria inteiramente justo abordar cada elemento de forma particular, pois foram todas pedras fundamentais na estrutura que nos levou a aos excelentes resultados obtidos. Deixo aqui o testemunho de alguns episódios demonstrativos da forma como esta equipa tornou o nosso clube ainda maior.

Vi uma Treinadora a chegar ao nosso clube com a única finalidade de servir em troca apenas de trabalhar naquilo que gosta, Futsal. Abriu as portas desta modalidade ao Grupo Desportivo de Porto d’Ave e com ela vieram no inicio quinze jogadoras, umas que já faziam parte da sua anterior equipa e outras que conheciam os seus métodos e a sua forma de estar no desporto e por isso quiseram juntar-se ao grupo, o que demonstra a admiração que goza no seio das praticantes desta modalidade. Tem um currículo que fala por si e apesar disso veio para ajudar, fá-lo de forma brilhante e por vezes ainda parece que está a agradecer. Respira Futsal, pensa Futsal e sabe muito de Futsal. Lidera um grupo alegre e unido porque além de saber conduzir uma equipa tem também a arte de saber escolher. Tem as suas próprias regras em que acredita e delas não abdica, e os resultados que obtém por essa via estão á vista de todos. Já lhe chamaram “o Mourinho do Futsal”, e eu que conheço o percurso de ambos ainda não percebi bem quem é sai beneficiado com a comparação. É com impar competência, paixão pela modalidade e vontade de trabalhar que se faz um grande líder e a Treinadora do Porto d’Ave já não tem apenas a admiração da equipa, porque hoje não existe um Portodavense que não esteja reconhecido pelo serviço que tem prestado ao nosso clube.

Vi uma Directora com uma dedicação excepcional. Ao longo de toda a época não há conhecimento que o mais pequeno pormenor tenha falhado em qualquer ponto da sua responsabilidade o que demonstra uma enorme competência. Foi presença assídua em cada treino e em cada jogo, onde nunca faltou o chá e o lanche para as “suas meninas”. O tom que emprega nas palavras quando fala desta equipa demonstra que a sua missão não termina com o cumprimento das suas funções enquanto directora. Estas jogadoras tem muita sorte, e o Porto d’Ave também.

Vi uma Capitã com exacta noção do peso da braçadeira que soube usar de forma briosa. Ao longo da época fez quase duas centenas de quilómetros por semana para estar presente nos treinos e jogos em troca apenas do orgulho de vestir a honrada camisola axadrezada. Numa deslocação da nossa equipa sénior masculina a Santa Eulália, clube no concelho de Vizela onde a capitã vive, apresentou-se naquele recinto desportivo com o fato de treino e cachecol do Porto d’Ave vestidos. Ninguém ficou indiferente ao assistir a esta demonstração de estar de corpo e alma no nosso clube. Com este involuntário gesto a nossa capitã deu o exemplo de que ser do Porto d’Ave é sê-lo sempre e não apenas entre o apito inicial e final de cada jogo. Além disso trata-se de uma grande, grande e outra vez grande jogadora de Futsal.

Vi uma grande guardiã de Futsal num treino com a cabeça a deitar sangue, e enquanto os restantes elementos da equipa se mostravam preocupados e tentavam decidir se chamavam a ambulância ou alguém a transportava ao hospital, ela dirige-se à treinadora e diz-lhe para não interromper os trabalhos por causa dela. No entanto acabou por levar seis pontos. Passados dez dias ocupou a baliza num desafio que se adivinhava viril e alinhou com as cores do Porto d’Ave onde os riscos que eram visíveis para todos os presentes no pavilhão foram totalmente ignorados por ela que até ao apito final apenas se preocupou em defender as cores do Porto d’Ave.

Vi uma grande jogadora de futsal a chorar no final dum jogo, porque um lance que ela achava ser culpa sua originou o golo do empate da equipa adversária. Perante este episódio, todos elementos da equipa se juntaram a ela numa grande demonstração de espírito de equipa.

Vi uma grande jogadora de Futsal, que estava no Porto d’Ave à apenas um mês e no dia do seu aniversário trouxe o habitual bolo onde a decoração era o emblema do Porto d’Ave.

Vi duas grandes guardiãs de Futsal com lesões em toda a segunda volta do campeonato, e no início de cada jogo avaliava-se o estado de ambas para decidir qual apresentava menos impedimentos e com sacrifício sempre havia uma disponível.

Vi uma grande jogadora de Futsal a abandonar o pavilhão de ambulância durante um jogo, e já passava da meia-noite a equipa quase completa estava na sala de espera do hospital de Braga a aguardar notícias da colega.

Vi grandes jogadoras a seguir as indicações clínicas com enorme sentido de responsabilidade para recuperar das lesões sofridas com a maior brevidade possível para poder dar o contributo à equipa.

Vi vontade de vencer, vi alegria, vi união, vi espírito de equipa.

Esta Treinadora e estas Jogadoras ficarão para a história do nosso clube, não apenas por serem as primeiras mulheres a vestir de forma oficial a camisola do Porto d’Ave, mas também pela forma como a honraram.

Que nunca exista um Portodavense no futuro que ignore que na época 2009/2010 existiu uma Equipa no nosso clube que dignificou a camisola do Porto d’Ave com uma entrega e dedicação raramente vistas.

Eu vi e posso testemunhar, esta é uma EQUIPA À PORTO D’AVE.



Professora Ana, D. Estela, Paula, Lúcia, Nádia, Rita, Ângela, Topi, Ju, Inês, Melanie, Sandra e Bi,

A todas, Muito Obrigado.



"A maior vitória na competição é derivada da satisfação interna de saber que fizeste o teu melhor."
( Howard Cosell )

domingo, 25 de abril de 2010

A Tabela Classificativa é Uma Grande Mentira

A. D. Esposende - 1
G. D. Porto d'Ave - 1

O Porto d’Ave deslocou-se a Esposende para defrontar o (ex) líder da tabela classificativa. A tarefa de conseguir o triunfo neste recinto não se adivinhava fácil mas os nossos jogadores começaram cedo a demonstrar que poderiam regressar a casa com os três pontos. Mas neste campeonato acontecem episódios estranhos e a equipa da casa não foi o único adversário que os nossos jogadores tiveram que defrontar. Aliado ao (ex) líder do campeonato estava um trio de amarelo que se revelou o principal obstáculo aos anseios da nossa equipa.

Os nossos jogadores criaram perigo por duas vezes na baliza da casa nos minutos iniciais. Primeiro foi Manaus de cabeça a enviar a bola ao lado e de seguida o mesmo jogador cruza pelo lado direito e Vitinha ao primeiro poste também de cabeça não leva a melhor sobre o guardião adversário. Quando estava decorrido um quarto de hora também a baliza de Clemente passou por um momento complicado com Pedrinho a salvar em cima da linha após uma tentativa de canto directo. Ao minuto vinte e cinco Vitinha tenta o golo com um remate de longe e de seguida também Victor após uma excelente jogada colectiva envia a bola com perigo para a baliza adversária. À passagem da meia hora, o guardião da casa agarra a bola fora da área nas barbas do fiscal de linha que finge não ver. Nesta altura do jogo já era nítida a inclinação do campo pela forma como Paulinho e Daniel tinham visto o cartão amarelo. Ao minuto trinta e cinco, Jaqques não aproveita de forma inexplicável a melhor oportunidade da primeira parte acertando mal na bola mesmo à boca da baliza. O intervalo chegava com o placar em branco mas o Porto d’Ave era claramente a melhor equipa em campo e já justificava a vantagem.

A segunda parte começou praticamente com golo inaugural com Vitinha a tirar alguns adversários do caminho e rematar para o fundo da baliza contando ainda com um desvio dum defesa da casa que traiu o guardião. O vantagem durou pouco tempo e passados três minutos o Esposende restabelece a igualdade. A partir daqui aconteceram situações que nada dignificam o futebol. Dois penaltys por marcar e um golo anulado por fora de jogo de Victor assim como a expulsão deste jogador não foram os únicos atropelos às regras de futebol a que assistimos.

A equipa de arbitragem de reduzidíssima qualidade que se apresentou para este jogo prestou um péssimo serviço ao futebol, porque foram indiscutivelmente os principais protagonistas da tarde e o resultado final da partida que hoje se desenrolou no Estádio Padre Sá Pereira é inteiramente da responsabilidade deste trio deplorável que realizou uma exibição tendenciosa, indecorosa, vergonhosa, lastimosa, desastrosa e mais num-sei-quantos adjectivos terminados em “…osa”. Por isso é inteiramente justo dar-lhes o destaque desta partida, pela negativa obviamente, pois fabricaram um resultado (e não era essa a sua missão, ou pelo menos não devia ser) impossível de obter se este jogo tivesse sido arbitrado por gente competente e séria.

Estiveram um pouco apagados durante o aquecimento, mas a partir do apito inicial foram incansáveis na procura da vitória para a equipa da casa, demonstrando com total nitidez que estavam ali para prejudicar o Porto d’Ave. Entre um golo mal anulado e permissão dos jogadores da casa em jogar com a mão na grande área assistimos a inúmeros atropelos às regras de futebol durante noventa minutos e não os posso citar todos aqui porque isso ultrapassaria o limite máximo de um milhão de carateres permitido pela administração do blog para esta crónica.

Existem equipas de arbitragem fracas por inaptidão para o exercício dessas funções e outras ainda piores porque fabricam resultados propositadamente em troca não sei de quê. Em relação ao trio em questão, podemos dizer que se trata de um “2 em 1”, árbitros fracos e gente fraca. E desta forma o Porto d’Ave abandona mais uma vez o rectângulo de jogo com dois pontos covardemente extorquidos por gente que durante quase duas horas se sente toda poderosa e se julga no direito brincar com o esforço de Homens que trabalham arduamente para dignificar a camisola que vestem.

Mas este trio repugnante que se apresenta na foto não se limitou a “roubar” o Porto d’Ave hoje como também deu continuidade a um trabalho que já vem sendo habitual e “cozinhou” algumas dificuldades para o próximo jogo ao expulsar Victor num lance completamente disparatado. Desta forma, o Porto d’Ave vê-se privado desse importante jogador na próxima jornada em que vamos defrontar o Vilaverdense.

.

Em mais de trinta jogos oficiais já disputados conhecemos o amargo sabor da derrota por seis vezes. Quando esse resultado aconteceu, também assistimos a algumas situações pouco claras mas no geral apenas nos podemos queixar de nós próprios e da falta de sorte que também faz parte do futebol. Mas quanto aos jogos em que dividimos os pontos com o adversário, em grande parte deles podemos dizer que outros ventos sopraram para impedir a vitória do Porto d’Ave. Os empates na primeira volta com Silvares, Águias da Graça, Taipas, Esposende, Vilaverdense e Louro, e na segunda volta com Taipas e hoje em Esposende foram nitidamente fabricados por agentes desportivos que deviam apenas gerir a partida com as regras do futebol e não adultera-las, e desta forma contribuíram para que a tabela classificativa seja uma grande mentira. Portanto, podemos dizer em voz alta por ser verdade que nos roubaram neste campeonato pelo menos catorze pontos além da forma como a nossa equipa está constantemente a ver-se impedida de utilizar jogadores por uma acção disciplinar que não consegue esconder que são nítidas encomendas para dificultar a nossa tarefa. Este campeonato está claramente viciado, pois se somarmos os pontos que nos roubaram e subtraíssem os pontos que foram atribuídos a alguns dos nossos adversários de forma anti-desportiva, seria o nome do Porto d’Ave a ocupar a primeira linha da tabela classificativa. Mas infelizmente anda gente no futebol que não gosta de futebol e por isso vemos equipas a lutar pela subida de divisão sem qualquer legitimidade para tal, a não ser que o facto de se assumirem como candidatos a esse lugar lhes dê essa legitimidade, enquanto isso, o trabalho, o esforço e o mérito dos todos elementos que constituem a nossa equipa é de tal forma desrespeitado por gente que anda a mais no futebol mas muitas vezes protegidos por aqueles de quem eles dependem para a sua promoção no final da época, daí as trocas de favores que tanta tinta fazem correr mas que acaba sempre da mesma forma. Toda gente vê, toda gente fala, toda gente sabe, mas não há provas. Se aquilo a que assistimos hoje em Esposende não é uma prova, então é mesmo difícil provar. Haja vergonha.


“A ausência da ética deixa um vácuo onde se propaga a onda da corrupção”

António Gomes Lacerda


sábado, 24 de abril de 2010

Futsal Feminino


G. D. Porto d'Ave - 2
Juv. S. Pedro - 0

O Porto d’Ave realizou o último jogo do campeonato e levou de vencido o difícil adversário de Barcelos por dois golos sem resposta. Desta forma a nossa equipa de Futsal Feminino terminou a época como a começou, A GANHAR.

A equipa forasteira foi a primeira a criar perigo e quando estavam apenas quatro minutos decorridos já tinham ameaçado a baliza da Rita por duas vezes. Primeiro quase aproveitam um atraso arriscado da Bi e de seguida aconteceu mais uma jogada com cheiro a golo na baliza do Porto d’Ave com uma jogadora adversária a não aproveitar de forma inexplicável. O primeiro remate na baliza do Juv. S. Pedro aconteceu ao sexto minuto num canto em que a Topi recebe a bola da Lúcia e remata forte para a primeira de muitas defesas da guardiã de Barcelos. Aos nove minutos começa o duelo entre a Paula e a mesma guardiã, numa jogada em que a nossa capitã não leva a melhor e permite a defesa no primeiro remate e na recarga envia a bola ao lado. No minuto seguinte a mesma jogadora não perdoou e depois de tirar uma adversária do caminho remata para o fundo das redes. O adversário reage mas a Rita evita o golo do empate com uma grande defesa. O segundo para o Porto d’Ave esteve perto por duas vezes ao minuto vinte em ambas as situações com a Paula na jogada. Também a Nádia tentou aumentar a vantagem quando remata ao lado após mais um grande momento de Futsal. O dois a zero surgiu a cinco minutos do intervalo com a Paula a bisar. Ao minuto vinte e oito o terceiro esteve nos pés da Lúcia e em cima do intervalo a capitã faz um chapéu e vê a bola passar por cima da baliza.

No regresso dos balneários foi novamente a equipa de Barcelos a criar a primeira oportunidade, mas a Rita volta a ser enorme e nega o golo. A partir deste momento as nossas jogadoras souberam gerir a partida e nos últimos dez minutos aceleraram à procura dum resultado mais dilatado e assistimos a muitas situações para aumentar a vantagem com a Paula a estar perto do hact-trick por diversas vezes. Na baliza da Rita, apenas a registar uma bola ao poste ao minuto vinte e seis. Na última jogada da época também a baliza adversária tremeu com uma bola enviada pela Lúcia a bater no poste e na recarga a Paula volta a não aproveitar . Estava escrito que a nossa capitã ia ficar pelo bis..

Este jogo fica também marcado por um trabalho positivo por parte do duo de árbitros e o Fair-Play reinou durante todo jogo par parte de todos intervenientes.

A nossa equipa terminou o campeonato com uma vitória contra um adversário que criou imensas dificuldades. Importa destacar a grande exibição da capitã Paula que sobressaiu não só pela autoria de ambos os golos da partida mas também pela forma incansável com que procurou um resultado mais avultado. Esta jogadora foi pedra fundamental na estrutura da equipa durante toda época e fecha o campeonato como merece, com chave de ouro. Parabéns Paula.

Apesar de terem terminado as duas provas oficiais, ambas vencidas pelo Vermoim com a justiça reconhecida por "quase" todos adversários, a época ainda continua e as nossas jogadoras vão defender as cores do Porto d’Ave num torneio a ser realizado em Vila da Aves onde irão competir com equipas não só da Associação de Futebol de Braga como também do Porto. Não existem competições secundárias, e as nossas jogadoras sabem disso. Força Equipa.


Futsal Feminino


Última Jornada do Campeonato

Hoje, dia 24 de Abril

No Pavilhão da Secundária
18-30 horas

G. D. Porto d'Ave *** Juv. S. Pedro


Vamos todos comparecer no último desafio oficial da época

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Vamos Apoiar o Porto d'Ave

Seniores
A. D. Esposende *** G. D. Porto d'Ave
Domingo, 25 de Abril pelas 16,00 horas

Futsal Feminino
(Última Jornada do Campeonato)
G. D. Porto d'Ave *** Juv. S. Pedro
Sábado, 24 de Abril pelas 18,30 horas


Infantis
Pevidem S. C. *** G. D. Porto d'Ave

Escolas
Fintas Academia *** G. D. Porto d'Ave
Sábado, dia 24 de Abril pelas 10,00 horas
no Campo de Futebol de Pedralva

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Porto d'Ave Vence e Convence


G. D. Porto d'Ave - 3

C. C. D. Santa Eulália - 2


O Porto d’Ave continua a sua caminhada rumo a águas mais calmas na tabela classificativa, apesar da linha que ocupa estar ainda longe de espelhar o valor da nossa equipa. No desafio de hoje o Mister João Fernando já tinha ao seu dispor a dupla Vitinha e Manaus que cumpriram dois jogos de castigo, e ambos alinharam de início. Pela frente estava a equipa de Santa Eulália, que vinha de três vitórias consecutivas e onze golos marcados, motivada ainda por nos ter ultrapassado na tabela na última jornada. No leme desta equipa está nosso conhecido Toninho Mendes que desde que assumiu o lugar conseguiu uma recuperação surpreendente.Hoje, além do grande momento que o nosso adversário atravessa tinha também a seu favor uma equipa de arbitragem que nos primeiros cinco minutos demonstrou nitidamente que vinha para prejudicar o Porto d’Ave ao fazer vista grossa a duas faltas a nosso favor e inventar uma desfavorável. Isto não nos surpreendeu, até porque já não é a primeira vez na presente época que este sujeito do apito nos prejudica intencionalmente, como se verificou nas Taipas em que fomos impedidos de vencer e ainda nos privou de utilizar o guardião Clemente nos jogos seguintes ao expulsa-lo por uma falta que não existiu.

Com dez minutos de jogo percorridos surgia o primeiro lance de perigo na baliza do guardião Coelho, com Vitinha a rematar de longe num lance em que tinha Victor em boa posição para receber a bola. A meio da primeira parte Manaus sofre uma falta na zona de penalty, e o sujeito do apito finge não ver e assinala canto. Na sequência deste lance, e para desconforto do tal sujeito, o mesmo Manaus inaugura o marcador. Caso para dizer: “o roubado não reluz”. Passados dez minutos o nosso numero nove tem oportunidade de bisar, mas permite a defesa do guardião forasteiro num remate de longe. De seguida também Victor teve oportunidade para aumentar a vantagem, que após ser assistido por Vitinha pelo lado esquerdo entra na área e quase sem ângulo remata ligeiramente por cima da barra. Contra a corrente do jogo, foi a equipa do Santa Eulália que concretizou ao minuto trinta e sete restabelecendo a igualdade. Mas os nossos jogadores não regressaram ao balneário sem se colocar novamente em vantagem com Manaus a fazer um golo d’outro mundo. Uma verdadeira obra de arte a levantar a bancada. São estes momentos que fazem valer a pena pagar um bilhete para assistir a um jogo. Um hino ao futebol em cima do intervalo. Grande Manaus, Ei-Lo

No inicio da segunda parte, Victor isolado tanta fintar o guardião em mais uma grande oportunidade para ampliar a vantagem, mas o veterano da baliza do Santa Eulália ganha o duelo. Aos doze minutos o placar volta a ficar equilibrado, com Clemente a ser batido pela segunda vez . O Porto d'Ave era claramente a melhor equipa em campo e os nossos jogadores sabiam que a vitória estava ao seu alcance e nunca desistiram de a procurar. Ao minuto vinte Meira remata cruzado e vê a bola passar ligeiramente ao lado. Neste momento o Mister João Fernando começa a arquitectar a vitória, fazendo entrar Zé Beto abdicando do lateral Serginho. Ao minuto vinte e cinco assistimos uma grande jogada de entendimento entre Daniel e Vitinha que termina com um remate do central rente ao poste. A dez minutos dos noventa Vitinha lesionado dá lugar a Neves. A procura dos três pontos fazia-se sentir dentro das quatro linhas e hoje também na bancada os adeptos do Porto d'Ave fizeram-se ouvir, e quando assim é a missão dos jogadores torna-se mais fácil . O golo da justiça no resultado aconteceu a cinco minutos dos noventa, através do recém entrado Zé Beto que numa excelente jogada colectiva aparece na área e envia a bola para o fundo das redes colocando a bancada em delírio. Depois de festejar com os colegas dirigiu-se ao banco de suplentes para dedicar o golo ao colega Bruno. O hact-trick ainda esteve nos pés de Manaus mas a bola saiu ao lado e só no apito final é que pudemos fazer a festa.

O Porto d'Ave foi um justo vencedor e até podíamos estar a falar dum resultado mais expressivo se não fosse a falta de pontaria dos nossos jogadores em alguns momentos da partida. Com este triunfo o nome do Porto d'Ave volta a ocupar uma linha acima do Santa Eulália na tabela classificativa.
O próximo jogo é em Esposende onde vamos defrontar o líder do campeonato. Na primeira volta fomos impedidos de vencer este adversário por uma arbitragem que inventou uma grande penalidade desfavorável nos momentos finais. Vamos mais uma vez acompanhar a nossa equipa nesta difícil deslocação e todos juntos vamos somar mais três pontos e subir mais um degrau na tabela classificativa. Força Equipa.

Utilize o BROSWER MOZILLA / FIRE FOX

.
É possível que não esteja a receber a informação relativa ao jogo da última jornada nas melhores condições. Para obter melhores resultados aconselhamos a utilizar o BROSWER MOZILLA / FIRE FOX.

domingo, 18 de abril de 2010

Juniores

G. D. Porto d'Ave - 4

Nogueirense - 1

De Helena Oliveira, adepta do Porto d’Ave com presença habitual na bancada do nosso parque de Jogos recebemos a seguinte informação e fotografias relativas ao jogo dos juniores em que venceram a equipa do Nogueirense por quatro bolas a uma.




O golo inaugural foi apontado ao minuto vinte por Mika, jogador ainda juvenil que alinhou pelos pupilos de Armando Mara. Até ao intervalo não houve alterações no placar.

No início da segunda parte a equipa forasteira igualou a partida com um golo que apanhou de surpresa os nossos jogadores, que após este momento voltaram a remar para a obtenção dos três pontos e colocam-se em vantagem passados três minutos com o golo apontado pelo central Zé Eduardo. Ainda duravam os festejos quando Daniel Pereira aponta o terceiro. A quinze minutos do apito final foi a vez de Celso fazer o gosto ao pé e apontar o quarto para o Porto d’Ave e o último da partida.

Esta foi mais uma exibição muito positiva do mais alto escalão da formação do Grupo Desportivo de Porto d’Ave.O próximo adversário chama-se Maria da Fonte num jogo a realizar no campo dos Moinhos Novos. Espera-se uma grande onda de apoio a esta equipa neste derby concelhio.

sábado, 17 de abril de 2010

Futsal Feminino

Em Diálogo - 1
G. D. Porto d'Ave - 4

O Pavilhão da Secundária no final da tarde de hoje foi palco de uma festa de Futsal Feminino ao colocar frente a frente dois emblemas da Póvoa de Lanhoso. Como anfitrião estava a Em Diálogo e desta vez a formação de Porto d’Ave apresentou-se como forasteira. Duas equipas que se conhecem bem e que tem demonstrado muita qualidade ao longo da época prometiam um bom espectáculo de Futsal como se veio a verificar. Com estes ingredientes o público compareceu em grande número para assistir a este derby concelhio.

Também a equipa de arbitragem contribuiu para a elevação do espectáculo ao realizar uma não surpreendente exibição muito positiva. Pode-se dizer com justiça que hoje estiveram três excelentes equipas no Pavilhão da Secundária.

Ainda não estavam decorridos dois minutos de jogo quando a nossa capitã Paula obrigou a guardiã da casa a uma grande defesa. Perante este grande momento de futsal até a luz foi abaixo, obrigando a suspensão do jogo durante seis minutos. Mal a bola recomeçou a rolar, a mesma guardiã voltou a brilhar desta vez a negar o golo à Nádia. A bola não parava de rondar a baliza da casa mas teimava em não ultrapassar a linha de golo, umas vezes por mérito da guardiã da Em Diálogo, outras por desafinação na pontaria das nossas jogadoras que entre muitos remates a sair por cima e ao lado da baliza também viram uma bola a embater no poste num remate da Nádia. A meio da primeira parte a Bi não perdoou e abriu o placar com um potente remate de longe. O segundo surgiu passados sete minutos pela mesma jogadora que aproveitou uma defesa incompleta após um remate da Paula e enviou novamente a bola para o fundo das redes. O hact-trick esteve perto de acontecer ao minuto vinte e sete mas a guardiã adia o festejo com uma grande defesa, mas o terceiro axadrezado ainda surgiu antes do intervalo através da Paula.

No regresso dos balneários a Bi que não queria ficar pelo "bi" obriga a guardiã da Em Diálogo a mais uma grande intervenção. Ao quarto minuto também a Lúcia esteve perto de aumentar a vantagem e o Porto d’Ave ganha mais um canto. A partir deste momento a equipa da casa começa a demonstrar que queria discutir o resultado e também consegue criar perigo na baliza da Rita, e ao minuto dezassete reduz a desvantagem para dois golos. As nossas jogadoras a partir deste momento voltam a mandar no jogo e o perigo instala-se novamente perto da guardiã da casa. Lúcia, Topi e Paula por duas vezes estiveram perto do golo, com um dos remates da nossa capitã a bater no poste, e ao minuto vinte e sete a Bi consegue o hact-trick e o quarto para o Porto d’Ave. O quinto esteve perto mesmo ao cair do pano com a Ângela em boa posição, mas a bola saiu ao lado.

As nossas jogadoras realizaram mais uma grande exibição e foi com uma atitude muito responsável que levaram de vencido um adversário que não lhes tornou a tarefa fácil.

A última partida do campeonato é no próximo Sábado neste mesmo recinto. O adversário chama-se Juventude S. Pedro e é também uma das boas equipas que defrontamos na presente época, por isso adivinha-se mais um grande espectáculo de Futsal. Pela forma como as nossas jogadoras honraram a camisola do Porto d’Ave, é dever de todos Portodavenses marcar presença mais uma vez no Pavilhão da Secundária e demonstrar não só o nosso apoio mas também gratidão.


"Não importa se o que estamos a fazer possa parecer pouco importante. Se o fizermos bem, isso em breve transformar-se-à no passo que nos vai guiar para coisas grandiosas"

Channing Pollock



quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vamos apoiar o Porto d'Ave


Seniores
G. D. Porto d'Ave ***C.C.D. Santa Eulália
Domingo, 18 de Abril pelas 16,00 horas

Futsal feminino
Em Diálogo *** G. D. Porto d'Ave
Sábado, 17 de Abril pelas 18,00 horas


Juniores
G. D. Porto d'Ave *** CCT O Nogueirense
Sábado, 17 de Abril pelas 16,00 horas

Juvenis
Este F. C. *** G. D. Porto d'Ave

Iniciados
A. C. D. R. Oleiros *** G. D. Porto d'Ave
Domingo, dia 18 de Abril pelas 10,00 horas

Infantis
G. D. Porto d'Ave *** Ases Santa Eufémia

Escolas
G. D. Porto d'Ave *** Os Craques
Dominmgo. dia 18 de Abril pelas 10,00 horas

A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.
(Martin Luther King)