quinta-feira, 31 de março de 2011

Vamos Apoiar o Porto d'Ave

Seniores
G. D. Louro *** G. D. Porto d'Ave
Domingo, 03 de Abril pelas 16.00 horas
No Campo Comendador Cupertino Miranda

sábado, 26 de março de 2011

Um Bis de Pimenta e Um Bife de Romaria

O "lugar" de Porto d'Ave arrecadou mais três pontos numa partida em que defrontou o "concelho" de Terras de Bouro. Uma segunda parte de ouro dos nossos jogadores deixou um adversário com os olhos em bico rendidos a um festival de futebol e a derrota pela margem mínima acaba por ser doce para os forasteiros face ao que se passou dentro das quatro linhas. Apesar da Primavera fazer fim de semana fora, o público compareceu preenchendo a bancada para assistir a este desafio que merecia ser desenrolado num tapete verde, pois as condições do terreno não eram as melhores e pior que o tempo só mesmo a actuação do árbitro da partida que não se contentando com a lama ainda resolveu piorar a situação ao inclinar o campo favoravelmente à equipa de Terras de Bouro que não teve arte nem engenho para aproveitar esse factor.

O Porto d'Ave entrou praticamente a ganhar e ainda se ouvia o eco do primeiro apito da partida quando o placar foi inaugurado. O golo madrugador saiu da cabeça de Pimenta após um canto apontado por Zé Beto. Com dez minutos jogados saiu uma bomba do pé esquerdo do mesmo jogador, mas a barra da baliza que ainda não parou de tremer na sequência deste embate, negou-lhe o segundo.
A partir deste momento a nossa equipa passou um período menos conseguido e permitiu que o adversário invertesse o resultado. Uma desatenção na defesa ao minuto quinze e um grande golo apontado pelo ex-Portodavense Victor que não festejou (lembro que este jogador vestiu quase duas centenas de vezes a nossa camisola e habituou-nos a golos assim) a dez minutos do intervalo levam os nossos jogadores a tomar o chá com sabor a desvantagem.

Na segunda parte a nossa equipa saíu do balneário equipada de vontade de vencer e foi enorme na conquista dos três pontos. Os jogadores do Terras de Bouro estavam rendidos ao banho de bola que estavam a levar a adivinhava-se a reviravolta a qualquer momento, pois o perigo não parava de bater à porta da baliza adversária.
E foi com um grande golo ao minuto vinte que surgiu o empate através de Bife que tinha acabado de entrar e faz um chapelão com conta, peso e medida e envia a bola para o fundo da baliza. Um Hino ao Futebol a sair do pé direito do nosso avançado a equilibrar o placar, mas o Porto d'Ave prometia muito mais. Já no último quarto de hora da partida o golo esteve perto com o mesmo jogador a rematar e permitir a defesa e na recarga faz um cabeceamento e vê a bola sair pela linha de cabeceira a menos de um palmo ao lado do poste quando o guardião já nada podia fazer neste lance.
E a justiça no resultado surgiu quando faltavam cinco minutos para o apito final mais uma vez através de Pimenta que do seu pé esquerdo bisa na partida e coloca o Porto d'Ave em vantagem com os festejos ao rubro tanto na bancada como dentro das quatro linhas. As vitórias sabem todas bem, mas não há dúvidas que umas sabem melhor que outras.
O golo ainda voltou a espreitar a mesma baliza, através de Pivas que aponta um livre pelo lado esquerdo e a bola é desviada na pequena área com muita dificuldade para a defensiva adversária.

Já nos descontos o perigo chegou pela primeira vez na segunda parte perto da baliza defendida por Abreu. Um livre assinalado em cima da linha da grande área podia ter causado uma grande injustiça no resultado, mas o Terras de Bouro não tem nenhum Pimenta e por isso não sabe tirar proveito deste tipo de lances.

O apito final chegou de seguida com o resultado favorável ao Porto d'Ave por três bolas a duas numa partida em que os nossos jogadores foram enormes, sobretudo pela fantástica segunda parte. Quando se quer mesmo, não há pai para nós, por isso vamos fazer o mesmo na próxima jornada, e na próxima e nas seguintes. Força equipa, Força Porto d'Ave.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Vamos Apoiar o Porto d'Ave


Seniores
G. D. Porto d'Ave *** A. D. Terras de Bouro
Sábado, 26 de Abril pelas 15.00 horas
No nosso Parque de Jogos

domingo, 20 de março de 2011

Um Empate Justo Que Merecia Golos


O Porto d'Ave deslocou-se ao recinto desportivo de Areias S. Vicente onde defrontou a equipa de Martim num desafio que terminou com o placar em branco. Podíamos estar a falar de excelentes prestações das três equipas em campo, mas um erro crasso a meio da segunda parte partilhado pelo árbitro da partida e o fiscal de linha influenciado pelo banco de suplentes da casa, mancha um excelente trabalho de noventa minutos. As regras de futebol foram totalmente distorcidas ao ser assinalada uma falta a favor do infractor expulsando ainda o nosso Capitão Filipe Gonça por acumulação de amarelos. Este lance deixa-nos ainda mais um amargo na boca uma vez que surgiu numa altura em que o golo batia à porta da baliza da casa e desta forma o Porto d'Ave via-se obrigado a jogar os últimos vinte minutos em inferioridade numérica com a agravante desta partida estar ser desenrolada debaixo duma atmosfera a rondar os trinta graus.

Com todos este factores a divisão de pontos aceita-se face às oportunidades criadas por ambas as equipas, e só uma tarde inspirada de ambos os guardiões com mais de uma mão cheia de grandes intervenções cada um aliada a alguma falta de pontaria dos avançados impediu que a festa do golo acontecesse nesta grande tarde de futebol.

A equipa de Martim foi a primeira a criar perigo mas ainda não estavam decorridos cinco minutos de jogo quando a resposta foi dada numa jogada pelo lado esquerdo em que Pimenta cruza rasteiro e Zé Beto em boa posição para inaugurar o marcador falha a emenda. Ao minuto vinte e cinco Abreu voltava a brilhar com uma grande intervenção e ainda vê a bola passar por cima da barra após a recarga e a resposta voltou a surgir passados cinco minutos com Zé Beto a apontar um livre para a área e Peixoto de cabeça vê a bola cair em cima das redes da baliza quando já se preparava para festejar. A dez minutos do intervalo foi a vez de Castelar tentar o golo num livre que parecia inofensivo em que o guardião do Martim ia sendo traído pela trajectória da bola após esta bater no chão.

No regresso dos balneários foi do melhor pé esquerdo do campeonato que saiu o primeiro lance com perigo. Pimenta através dum pontapé de canto tenta o golo directo e a bola passa menos dum palmo ao lado do poste. Aos minuto treze o guardião da casa que nesta altura do jogo não tinha mãos a medir nega o golo a Zé Beto que remata com perigo após passe de Pimenta. Mas não era só nesta baliza que as oportunidades surgiam e também Abreu teve que se aplicar e foi com grandes intervenções que manteve as redes invioláveis. As oportunidades iam surgindo para ambos os lados com uma clara superioridade do Porto d'Ave neste período e adivinhava-se o golo a qualquer momento, mas o erro que ditou a expulsão de Filipe Gonça voltou a equilibrar a partida que terminou com a divisão de pontos.

Este jogo foi realizado no recinto da equipa que ocupava a terceira posição na tabela classificativa antes desta jornada e por esse factor até podíamos considerar o empate um resultado positivo, mas foi com um sabor amargo que ouvimos o apito final pois ficamos com a sensação que aquela inversão das regras de futebol a meio da segunda parte teve influência no resultado e sem esse erro (esperemos que tenha sido apenas um erro e não algo muito mais grave) os três pontos certamente viajariam na nossa bagagem no regresso a casa.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Tributo a Dona Anastácia


De Vitor Macedo recebemos a seguinte mensagem que pelo seu teor segue em primeira página neste blogue. Trata-se duma homenagem à Dona Anastácia de alguém que conviveu de muito perto com ela e por isso está à altura para nos dar o testemunho que passo a citar na integra:

"As pessoas passam mas as Instituições ficam, a obra nasce e cresce com pessoas que mudam mas a pedra é sempre a mesma, as palavras voam mas as acções ficam na memória e passam de geração em geração…

A nossa Querida e Digníssima S. Anastácia é pedra que fica, não nasceu apenas para passar por cá na Terra mas sim para marcar, ensinar e dar aos outros as boas acções.

Sempre com um sorriso ternurento, com um brilho no olhar, com uma voz doce e meiga, a nossa Querida D. Anastácia foi um Anjo na Terra que distribuiu a todos paz e amor, como Jesus o vez à 2000 mil anos.

Não existe um sentimento de perda porque acredita-se que Ela estará sempre a olhar por nós, existe sim um sentimento de partida visual que leva a saudade.

Foram anos que com muita humildade, dedicação, habilidade e devoção à Nossa Senhora do Porto de Ave que tão Nobre e Digníssima Senhora a todos serviu, sem pedir nada em troca, fazendo do nosso Majestoso Santuário a sua Casa.

A sua simplicidade, tão pura, nunca aceitou que lhe dirigissem um elogio dizendo com o coração que servia em nome de Deus. Só quem tem um coração puro é que consegue tanto tempo servir e não ser servido, só é Grande quem muito dá e nada recebe.

Para a nossa Digníssima Senhora Anastácia, Amiga nos nossos corações, um simples e profundo OBRIGADO pela sua simplicidade Grandiosa."

Vitor Macedo

quinta-feira, 17 de março de 2011

Vamos Apoiar o Porto d'Ave

Seniores
A. F. C. Martim *** G. D. Porto d'Ave
Domingo, 20 de Março pelas 15.00 horas
No Campo de Futebol de Areias S. Vicente

terça-feira, 15 de março de 2011

Im Memoriam Dona Anastácia

Desde há vários anos que no Santuário de Nossa Senhora do Porto d’Ave era presença habitual a Dona Anastácia, uma senhora que vivia há menos de duas décadas em Porto d’Ave mas que conquistou o carinho e admiração de todos. Apesar da sua idade avançada e já com evidentes sinais de debilidade física teimava em colaborar nos trabalhos de zelo do Santuário, na catequese e na organização de todos eventos religiosos. Foi sem dúvida uma grande dádiva que DEUS colocou ao serviço da nossa comunidade que hoje chora a sua partida mas jamais o seu sorriso e a ternura das suas palavras se apagarão da nossa memória. O Santuário de Nossa Senhora do Porto d’Ave está hoje muito mais pobre. Obrigado Dona Anastácia, que DEUS lhe devolva no céu tudo que semeou na terra.

domingo, 13 de março de 2011

Vitória mais que justa do Porto d'Ave

O Porto d’Ave recebeu o U. D de Polvoreira e cumpriu o seu dever ao somar mais três pontos e cimentar ainda mais um lugar na primeira metade da tabela classificativa. Pela frente estava um adversário que não apresenta argumentos para disputar este campeonato e até os seus adeptos já deixaram de acreditar nesta equipa sendo o motorista do autocarro o único elemento identificado com o adversário que marcou presença na bancada do nosso Parque de Jogos para além de alguns membros do plantel.

O Porto d’Ave abriu cedo o placar através de Freitas que ao sexto minuto da partida apontou o golo que valeu os três pontos. A bola ainda voltou a bater nas mesmas redes por duas vezes antes do intervalo ambas através de Pimenta, mas o trio de arbitragem imaginava não-sei-o-quê e invalidou os dois golos.

Já antes do golo tinha sido levantada a bandeira indevidamente quando o mesmo jogador partia isolado em boa posição para marcar. Além destes lances assistimos a uma chuva de oportunidades na mesma área mas a bola teimava em não entrar. Já na outra baliza o guardião Abreu teve o primeiro contacto com a bola ao minuto vinte e cinco num cruzamento fácil de resolver e só em cima do intervalo foi chamado a intervir no único lance com algum perigo.

Na segunda parte os nossos jogadores saiam do balneário com uma margem mínima que face ao que se tinha passado dentro das quatro linhas premiava o nosso adversário que com o factor sorte aliado ao comportamento do trio de arbitragem começaram a acreditar que podiam pontuar no nosso recinto, e a partida ficou mais equilibrada neste período onde há a registar apenas duas oportunidades de golo flagrantes já nos minutos finais. Primeiro foi a vez do Polvoreira tentar o empate através dum livre inventado pelo árbitro da partida e Abreu após uma grande intervenção ainda vê a bola bater no poste da baliza antes se sair pela linha de cabeceira. Não demorou muito a resposta do Porto d'Ave através de Zé Beto que se apercebendo dum ligeiro adiantamento do guardião adversário tenta o golo de chapéu obrigando a uma defesa apertada para canto.

O resultado final faz justiça à superioridade do Porto d’Ave contra um adversário que se preocupou mais com a violência do que com o futebol. Mas às vezes o feitiço vira-se contra o feiticeiro e foi o guardião do Polvoreira em mais uma agressão a um dos nossos jogadores que acabou por se lesionar (já no jogo da primeira volta tinha sido useiro e beseiro neste tipo de lances). O alvo escolhido tinha sido Cabreira e a probabilidade do desfecho ser outro era muito reduzida. Quanto ao trio de arbitragem estiveram à altura do desafio, muito fracos.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Vamos Apoiar o Porto d'Ave


Seniores
G. D. Porto d'Ave *** U. D. Polvoreira
Domingo, 13 de Março pelas 15.00 horas
No nosso Parque de Jogos

terça-feira, 8 de março de 2011

Porto d'Ave despede-se da Taça numa partida de Carnaval

O Porto d'Ave deslocou-se ao concelho de Vizela acompanhado por cerca meia centena de adeptos que assistiram a uma derrota imposta pelo Santa Eulália por três golos com apenas um de resposta, resultado que está longe de espelhar o futebol praticado por ambas as equipas dentro das quatro linhas deste excelente recinto desportivo. Aos quinze minutos de jogo a equipa da casa abria o placar num lance em que Abreu foi traído por Pesca que desvia a bola de cabeça para o fundo das próprias redes. O um a zero manteve-se até ao intervalo sem que o perigo chegasse uma única vez à nossa baliza. A maior oportunidade para marcar na primeira parte pertenceu ao Porto d'Ave à passagem da meia hora numa jogada em que o guardião nega o golo a Leandro e na recarga Mota remata ao lado.

Até ao intervalo assis
timos ainda a duas atitudes carnavalescas do árbitro da partida ao perdoar o segundo amarelo numa mão na bola ao número sete do Santa Eulália e de seguida o mesmo jogador agride Pesca e mais uma vez não lhe foi dirigida nenhuma cartolina quando se exigia o vermelho directo. Já noutro sentido não se notava qualquer impedimento para o uso da autoridade e na segunda parte o nosso delegado ao jogo que se encontrava no banco de suplentes foi convidado a regressar aos balneários com o sujeito do apito a dar-lhe ordem de expulsão utilizando um "tom de voz horrendo e grosso" como se estivesse mascarado de Adamastor.

No regresso dos balneários ambos os guardiões continuaram a ter pouco trabalho, mas a eficácia do Santa Eulália era de 200% e ao minuto vinte faz o segundo golo na primeira oportunidade criada em toda a partida e quando faltava um quarto de hora para o final amplia para três a zero em mais um lance de completamente carnvalesco com o golo a ser obtido em posição claramente em fora-de-jogo.

Pimenta ainda reduziu para três a um com um grande golo de canto directo e o Porto d'Ave ameaçou por várias vezes o relançamento do jogo mas o golo da margem mínima teimou em não surgir e mais uma vez dissemos adeus à Taça e o sonho de marcar presença numa final desta competição continua adiado.

Uma nota também para o eco que esta partida teve além fronteiras, em que os grandes clubes da Europa enviaram observadores para tirar anotações relativas a jogadores de ambas as equipas. Em zona vip deixaram-se fotografar de forma muito simpática para o blogue os representantes de Real Madrid, A. C. Milan e Bayern Munique exigindo apenas que a caixa dos charutos e a bandeja com a garrafa de conhaque e os copos fossem retirados do local. Podem achar que isto é uma brincadeira, mas não foi este o trio que fez mais palhaçadas neste recinto enquanto a partida se desenrolou.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Vamos Apoiar o Porto d'Ave



Taça da Associação de Futebol de Braga

Seniores
C.C.D. Santa Eulália *** G. D. Porto d'Ave
Terça, 08 de Fevreiro pelas 15.00 horas
No Estádio Municipal de Santa Eulália

domingo, 6 de março de 2011

Desfile de Carnaval em Porto d'Ave

O Desfile de Carnaval do Centro Social de Porto d’Ave saiu mais uma vez à rua onde a criatividade e animação não encontraram barreiras. Cerca de uma dezena de carros alegóricos e mais de uma centena de figurantes de todas as idades acrescentaram ainda mais colorido à nossa aldeia perante uma enorme plateia que assistia estendida pelas bermas da estrada durante todo o percurso.

Estão de parabéns todos aqueles que tornaram possível este evento, e para os colaboradores do Centro Social a administração do blogue deixa mais uma vez o reconhecimento por tudo que depositam para além da competência e profissionalismo nas mais variadas tarefas do dia a dia. Os utentes desta instituição tem muita sorte.

As imagens desta festa não precisam de legendas: